Slow content na prática

Slow content na prática

Slow content vem da mesma corrente de pensamento do slow living — um manifesto sobre ver e viver a vida num ritmo diferente.

O Slow Living é tanto um estilo de vida quanto uma filosofia em comportamento de produção e consumo. Nesse último caso, as decisões de compra são baseadas em um senso comum de atributos e valores das marcas que enfatizam a qualidade sobre a quantidade, a autenticidade e as responsabilidades ambientais e sociais.” — Jason Drebitko, consultor americano de desenvolvimento de negócios.

Segundo a Bruna Miranda do Review Slow Living "O conceito do slow living vai além do sustentável. Somado a isso, entram a cooperação, respeito, gratidão, celebração e resiliência. Um viver consciente inspirado por reflexões que nos direciona para novos olhares e novos caminhos."

Então, podemos entender o Slow Content não como uma ferramenta, mas uma alternativa, um estilo de vida, um conjunto de ideias e acordos que fazemos com as nossas escolhas individuais para uma rotina coletiva mais consciente.

E como fica o seu engajamento?

Slow content não é pra quem só usa o instagram como plataforma de divulgação do próprio trabalho, é pra quem trabalha marketing de verdade. E pra quem tem preocupações mais urgentes como: ampliar a própria voz e aprimorar discursos através da pluralidade das plataformas.

Para saber se o Slow Content é pra você, responda a essa pergunta:


Você tem disposição para abrir mão das métricas de engajamento em prol da consistência?


Se a sua resposta for "sim", continue lendo esse artigo.

E como colocar em prática o Slow Content?

Simples. Muito mais do que parece. A fórmula é o seguinte:

Consistência + Cronograma * Storytelling = Slow Content ❤

Você já conhece o seu público.

Você já definiu a sua linha editorial baseada em um artigo anterior publicado nessa mesma plataforma.

Agora você precisa de consistência: autoridade construída por repetição e afirmação.

Monte um cronograma ou calendário de conteúdo que conte uma história contínua sobre o mesmo tema.




Você não precisa fazer 30 posts, se tem 10 que funcionam e isso pode ser feito assim:


Passo 1 — Defina o tema principal 

Do que você vai falar? Seja específico.

Frete? Um produto x? Introdução de marketing consciente? Receitas de bolos de chocolate?


Passo 2 — Desenhe a narrativa

Suponhamos que o tema é "introdução de marketing consciente". No marketing tradicional, esse é assunto para um post único. No Slow Content, isso sairia assim:

  • O que é marketing?

  • Qual a diferença entre Marketing Tradicional e Marketing Consciente?

  • Cases de marcas que trabalham com Marketing Consciente

  • Qual os impactos "não-tangíveis" do Marketing Consciente para a audiência?

  • Exercício para dar os primeiros passos no Marketing Consciente

Viu como o Slow Content desenvolve uma linha de raciocínio? Além de promover melhor as ideias, dessa forma conseguimos elaborar conteúdo colaborativamente com quem está prestando atenção em nós e aproveitando melhor o funil de vendas.


Passo 3 — Atenção no impacto

A principal característica desse tipo de conteúdo é o impacto no contexto REAL de vida das pessoas, dentro e fora da internet. Independente do tema abordado, o Slow Content é uma filosofia de vida e convida as pessoas (criadores e receptores) a repensar costumes através da mensagem transmitida.

Mais do que uma alternativa, o Slow Content é um pedido: vá mais devagar.

170 visualizações

O que você tem em mente?

© 2020. Criado por Sue Coutinho.