facebook-domain-verification=lpgyfzvmkj1cdvheizn49fc1l937y2

O Slow Content é pra você?

Em tempos de “procuramos alguém que seja heavy user em mídias sociais”, a busca por alternativas que sejam mais saudáveis e verdadeiras que “consiga 2 mil seguidores no instagram com apenas 3 passos” parece escassa. Será que é possível seguir uma vida mais saudável e ainda assim não abrir mão das mídias sociais - além do Instagram - para uma comunicação que atinja os mais diversos públicos que seu serviço, sua mensagem ou seu conteúdo quer alcançar?


Uma das alternativas mais atuais, pensada lá em 2006 com o “slow blogging”, que nada mais era que dar uma pisada no freio em relação a produção de conteúdo em blogs no geral, é o slow content, influenciado e da mesma família que o Slow Living. Bom, esse termo não é nenhuma novidade por aqui, essa conversa já foi puxada algumas vezes e é a narrativa principal de tudo permeia nosso universo, mas existem algumas ideias que ainda são relacionadas ao Movimentos Slow que faz com que diversas pessoas, assim como eu que buscam alternativas para entender a internet e os usuários da internet de forma mais lenta e mais profunda, não abracem com carinho essa nova forma de ver o mundo.





A pergunta “Será que o slow content é pra mim?” pode ser mais frequente do que poderia ser. Mas antes de te responder essa questão, tenho algumas perguntas:


1- Você pensa em consumir conteúdos que façam sentido além de acompanhar para não ficar por fora?


2- O uso de dados das plataformas que você utiliza é relevante pra você?


3- Quando você pensa em um conteúdo, acaba atribuindo recortes sociais a ele?


4- Você FAZ para produzir conteúdo ou produz conteúdo a partir do que faz?


5- Você gosta de produzir conteúdo?


6- Você se considera um "produtor de conteúdo" ou executa essa função em prol de outra atividade?


Aqui não existem respostas certas ou erradas, mas existem perguntas que vão te direcionar para o slow content e te provar que sim, o slow é pra você assim como é para todo mundo que, ao menos uma vez, possuíram essas questões na cabeça. O questionamento sobre a forma que usamos a internet, como ela impacta no externo, como nossos dados estão sendo utilizados e como o nosso conteúdo está sendo consumido e como você consome conteúdo dentro da internet já é um começo.


O Slow content é a alternativa que você estava procurando que torna a sua experiência dentro da internet, tanto como receptor como emissor da mensagem, mais real, saudável e com um impacto ainda maior para o meio externo. E calma, essa alternativa não tem nada a ver com apenas aparecer a cada 7 meses no Instagram, vender suas coisas, morar na praia e viver da sua arte, ainda é possível ter uma relação saudável com as redes sociais sem virar hippie - mas se quiser tudo bem. A vida ainda não é 8 ou 80 se você não acreditar nisso, é possível encontrar equilíbrio.


Nunca é tarde para encontrar e adotar alternativas que busquem um sentido maior para aquilo que você quer falar, consumir e entender, seja entendimento do mundo ou apenas de você mesmo. E, calma, Slow Content também não tem nada a ver com abandonar tudo e nunca mais usar o Instagram como ferramenta de trabalho mas, como dito lá em cima, é sobre alternativas.




Curadoria: Sue Coutinho

Redação: Pryscila Galvão


47 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Entre em contato

© 2020. Criado por Sue Coutinho.