O seu conteúdo tem sido repetitivo?

Quando começamos a trabalhar a comunicação de nossas marcas temos a sensação de que temos muito a compartilhar. No entanto, com o passar do tempo, chega o temido momento em que sentimos que já dissemos tudo o que queríamos e estamos sendo repetitivos. 


Não há como fugir, alguma hora essa angústia vai bater à nossa porta e, a partir de então, produzir conteúdo pode se tornar uma tarefa mais árdua do que deveria ser. É por isso que a primeira mensagem que podemos te dar em relação a isso é: não se cobre tanto.





A repetição a princípio pode parecer apenas cansativa, mas é muito mais do que isso. Você já parou para pensar que amamos repetição nas músicas, por exemplo? Esse TED traz uma lição sobre isso e fala sobre o fenômeno que acontece com as pessoas quando escutam as mesmas músicas inúmeras vezes. Ele é chamado de “efeito de simples exposição” e diz respeito ao fato de gostarmos do que já conhecemos anteriormente.


Quando escutamos algo parecido com o que já ouvimos antes nos sentimos familiarizados e dentro desse contexto. Já imaginamos o que pode vir em seguida e sabemos, inclusive, como participar disso. Além disso, a repetição transforma a escuta passiva em ativa que, no caso das músicas, nos leva a dançar e cantar juntos.


Com as marcas não é muito diferente. Dentro da publicidade, a frequência ativa também é estudada como uma das maneiras de tornar a comunicação efetiva. É reforçando a mensagem que também instigamos as ações e temos diversos exemplos disso (vide propagandas do Super Bowl). Outro benefício da repetição é que, quando o seu público já conhece determinada mensagem, fica mais suscetível a prestar atenção em outros detalhes e isso pode ser importante também.


Deixando de lado essa ideia de que a repetição é apenas um fardo ruim, não estamos aqui para incentivar que a sua marca compartilhe sempre as mesmas coisas e nem mesmo continue fomentando práticas nem sempre sustentáveis do marketing tradicional. Existem maneiras de explorar conteúdos interessantes e novos ao seu público e separamos algumas que valem a pena conhecer:


Um olhar universal


Como você seleciona as pautas que vai abordar dentro da sua página? Uma dica imprescindível nesse momento é estudar o universo expandido que envolva a existência da sua marca. Em que cenário o seu produto está inserido, quem é o público que te acompanha, que outros interesses ele tem, quais são os impactos da sua produção, como é a sua relação com os colaboradores e etc. É preciso olhar de dentro para fora e listar todos os assuntos que conversam com o seu propósito, mesmo que não fale diretamente sobre o seu produto.


Busque referências 


É importante se inspirar no que outras pessoas e marcas estão fazendo. Tenha sempre algumas referências como guias de comunicação e aproveite para ter alguns insights. O cuidado aqui é apenas para não plagiar, pois isso não é positivo de nenhuma forma. Inspire-se, faça releituras, dê o crédito e busque autenticidade.


Literatura importa


Em um momento em que a maioria das nossas pesquisas estão concentradas no Google, a literatura, seja ela recente ou não, pode trazer inúmeras ideias sobre o que conversar, escrever e implementar na sua marca. Busque livros que falem sobre o seu segmento e aprofunde-se em conhecimentos literários. Esse é um ponto chave para trazer pautas pouco ou nada exploradas, já que são raras as pessoas que produzem conteúdo com esse tipo de pesquisa.


Puxe conversa, incentive a troca, descubra


Mantenha sempre a sua escuta ativa para puxar conversa com o seu público e também outras marcas. Muitas ideias do que falar vem das dúvidas e aflições dessas pessoas. Mantendo esse canal sempre aberto é possível compreender o que faz sentido produzir e, mais do que isso, o que será útil para quem te acompanha. Por isso, fique atento a todas as interações.


Explore diferentes canais e formatos


A última dica é sobre explorar os formatos de conteúdo que temos disponíveis. Mesmo falando sobre um só assunto, esse conteúdo pode aparecer em forma de artigo, vídeo, lives, e-books, imagens, checklists, gifs e onde a sua imaginação levar. Temos ferramentas e canais disponíveis para entregar a nossa mensagem de múltiplas formas e aproveitá-las é um dos caminhos para falar sobre a mesma coisa sem ser repetitivo. É importante ainda avaliar o que mais faz sentido dentro de cada canal e pensar que diferentes pessoas absorvem informação de diferentes formas.


Tenha em mente que a repetição tem a sua razão de existir e que não é possível inovar todo o tempo. É possível e necessário explorar novos assuntos e formatos de conteúdo, mas junto a isso, a sua mensagem de marca deve estar presente em todos os lugares. Esse também é um atributo que torna a sua narrativa mais coerente e agradável de se acompanhar. O público espera coisas novas, mas também gosta de saber onde encontrar determinados assuntos e tratar sobre alguns deles regularmente também constrói personalidade. Por isso, preocupe-se mais com a qualidade, profundidade e relevância do seu conteúdo e deixe um pouco de lado o peso da repetição. Combinado?



O que você tem em mente?

© 2020. Criado por Sue Coutinho.