4 passos para construir uma narrativa

Enquanto você pesquisa para encontrar o lugar da sua marca, é bem provável que esbarre em alguns artigos sobre “storytelling”, certo? Despindo esse termo de excessos e artifícios, sobra a velha arte de contar boas histórias e elas tem, sim, o poder de transformar a forma que você é visto pelo seu público, com mais significado e valor.


Mas as histórias vão muito além do seu site ou de contar como a sua marca nasceu. Engana-se quem se dedica a escrever um texto apenas e postar no feed, pois as histórias não são momentos, mas sim continuidades. 


Quando falamos de narrativas estamos indo além da história por si só. As narrativas dizem respeito a como as histórias serão contadas e percebidas. Ou seja, é preciso ter uma história de marca, mas também é preciso sustentá-la com a criação de uma teia de pessoas, palavras e ações que transmitam uma mesma mensagem em uníssono.





Sabendo disso, veja 4 passos para construir a sua própria narrativa:


1- A estrutura


Uma história deve estar baseada nas emoções que você quer despertar, mas isso não significa que ela não precisa seguir uma estrutura. Nesse caso, você precisa garantir 3 aspectos: personagem(s), conflitos e resolução. A personagem é quem vive a história (nesse caso, você mesmo pode representar a sua marca), o conflito é sobre um momento crítico de reflexão (em que acontece uma virada, um insight) e a resolução é sobre superação, sobre como você lidou com o conflito e o que resultou dele.


2- Saiba o porquê


Você já se perguntou por que a sua marca existe? Que problema ela resolve ou como se insere em nossa sociedade? Essas respostas farão você definir qual é a mensagem que a sua marca deverá transmitir em sua história. Leve em consideração que essa história não precisa, necessariamente, ser inovadora, mas é imprescindível que ela seja autêntica.


3- Saiba para quê


Quais são os seus motivos para focar na construção de uma narrativa para a sua marca? Ela pode te ajudar de inúmeras formas e criar conexões e vínculos é a mais importante delas. As histórias dão vida aos números, instigam a imaginação, podem ensinar, inspirar, informar e mesmo convencer. Elas fazem as pessoas darem uma primeira chance a uma marca e isso vale muito para iniciativas que estão nascendo. “Gostamos de pessoas que compartilham histórias. As histórias quebram barreiras e suposições” diz Kindra Hall, autora do livro Stories That Stick : como a narrativa pode cativar clientes, influenciar o público e transformar seus negócios.



4- Consistência sempre


É preciso ter olhos clínicos para avaliar o que faz ou não sentido para a história da sua marca. Cores, imagens, opiniões compartilhadas, a forma como você responde interações ou vende os seus produtos. Tudo isso faz parte da sua narrativa e entrega a mesma mensagem? Você está alinhado? A história continua sempre sendo contada e se ela está inconsistente torna-se diluída e menos impactante.


Não se esqueça de incluir as pessoas que trabalham com você nesse mesmo alinhamento, pois elas são componentes essenciais para a existência da sua marca e, por fim, continue buscando sentido e conexões, desenvolva novas maneiras de espalhar a sua mensagem para, assim, continuar evoluindo com a sua história.



104 visualizações

O que você tem em mente?

© 2020. Criado por Sue Coutinho.